Sunday, January 30, 2011

do peito

as labaredas da tua boca
não tardarão a mergulhar-me
no êxtase de uma manhã
de lençóis desalinhados
corpos desfeitos
de um respirar que nos quer fugir
do peito
a ânsia, a sofreguidão
as mãos descobrindo
novos contornos
contornos novos
muito nossos
eu fora de mim
animal

No comments:

Post a Comment