Wednesday, December 22, 2010

8 1/2

encostei-me ao mar
gritei-lhe o suor das ondas
marquei cada travo de espuma
a ferro queimado
preso nas máscaras de sal
ruído demente
de mel na água
a lume brando
nos sonhos, teus


e meus, de tanto te querer os braços
e te cegar a pele
em laivos de redenção,
num bruaá
em voz muito tremida
de menina

No comments:

Post a Comment