Monday, June 7, 2010

acto ou efeito de inspirar

fascina-te com os nossos reflexos nus
nas águas livres de sentidos expurgados
sem pranto
e só porque sim
encosta-te a mais um resguardo do meu mundo
pensado e guiado
por brisas de amor e saudade
que só tu vês
sentes
transformas
aceitas
beijas;
percorro cada traço do teu rosto firme
com os meus olhos curiosos
e tu deixas-te arder
nesta minha busca que não cessa,
e a cada dia lanças
lanças de ferro que me perfuram
e se convertem em fechaduras de portas
forradas de cartas por escrever
de soluços e beijos por dar
e esperas que eu me deixe ficar também
com o passar das coisas,
pedes que te sussurre canções de embalar
de menino ao colo
para depois te desculpares
em sons
e cores de colibris à solta

1 comment: