Thursday, September 24, 2009

rebuscos

repito-me muitas vezes
para mim, para dentro
choro cá fora
o que é do peito
faltas-me muito,
nem o murmúrio da tua voz, apenas
me salva do pranto
de não te ter
gravado em mim, perto
no fundo de tudo o que me faz
eu
e tu
desafiando a música dos meus olhos
guitarras nos pés,
dedos
grandes, bandidos
tocam a velocidades de sete nós
sete caravelas
sete batalhas esmagando o ar
repito-me
vezes que já não conto
que me faltas
como a luz me falta quando escrevo

No comments:

Post a Comment